sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Estória brasileira


Bandeira do Brasil, a mais bonita e surrada.


Acredito que todo mundo conhece os símbolos nacionais do Brasil: Bandeira, Hino, o Brasão de Armas e Selo. Animada com o quanto a população brasileira sabe a respeito deles, a presidente Dilma até sancionou uma lei, em setembro deste ano, em que torna o estudo dos símbolos nacionais obrigatório em escolas de ensino fundamental. Essa lei deverá entrar em vigor a partir do ano que vem. Se surtirá efeito, eu não sei. Mas a ideia é boa. Realmente os estudantes têm a necessidade de, pelo menos, saber o que tudo isso significa.

A Bandeira do Brasil, por exemplo, eu mesmo escutei dezenas de vezes que cada cor era associada a uma riqueza do país. O verde representava as florestas e matas. O amarelo significava o ouro e outras preciosidades que se encontram em nosso solo. O azul era o reflexo do céu límpido. E o branco, claro, representava a paz eterna. Por muitos anos acreditei nesta estória. E, tenho certeza, não fui o único. Até hoje ainda tem muita gente que pensa assim. Culpa de quem? Culpa de quem ensinou, oras...  E navegando pela internet, não é difícil encontrar sites que trazem a mesma explicação.  

Na verdade a cor verde é associada à Casa Real de Bragança, família do imperador dom Pedro I. O amarelo é a cor da casa dos Habsburgos, família da imperatriz Leopoldina. O círculo central, em azul, que em todas as versões anteriores da bandeira tinham, representava a esfera armilar, instrumento usado nas navegações. “Ordem e progresso” vem da frase do positivista Auguste Comte: “o amor por princípio e a ordem por base; o progresso por fim”. As estrelas representam os estados brasileiros.

A bandeira foi desenhada por Raimundo Teixeira Mendes. As dimensões e proporções da bandeira são determinados pela Lei n º. 5700. A Bandeira atual foi instituída em 19 de novembro de 1889, em que aconteceu o primeiro hasteamento, quatro dias após o Brasil ter sido declarado república.

PS: estou meio sem tempo para cronicar. Mas em breve as coisas vão melhorar. 

Abraços.